//
você tá lendo...
Home

O que é hipster – e por que ninguém gosta de ser chamado assim…

Não me lembro exatamente, mas acho que foi em 2009. Surgiu um blog chamado Hipster Cafona que gerou matérias jornalísticas e principalmente conversa na mesa de bar (ou na pista da boate, como quiser) porque ele pegava fotos feitas em baladas e fazia uma análise crítica irônica a respeito do jeito que as pessoas estavam se vestindo e se comportando nas imagens.

Muita gente ficou brava por estar no blog. Normalmente as pessoas não gostam de críticas, ainda mais das irônicas. E gerou-se também um burburinho sobre quem fazia o blog – eu já fui apontado como um dos autores. Hoje, se você tem uma rede boa de informações, sabe quem é.
(Eu sei mas não conto pra vocês, acho legal manter essa lenda de “mas eu ainda não sei quem é que fazia o Hipster Cafona” em 2012)

Falei tudo isso porque hoje em dia é difícil você encontrar alguém que se acha cool e que fala “sou hipster” porque o adjetivo adquiriu um uncoolness. Não pega bem se assumir hipster. Muito disso, acredito, tem a ver com esse blog – apesar dele deixar claro que o ruim (risos) era ser “hipster cafona”, e não necessariamente um hipster, er, trendy?

Eles são hipsters ou são lenhadores?

É tudo uma grande brincadeira – entendeu? É pra rir, tá? – mas afinal… Você sabe o que é hipster?
Já encontrei diversas opiniões. Amigos muito próximos têm, inclusive, conceitos bem diversos sobre, por exemplo, o que seria o “uniforme” dos hipster – mesmo porque a moda muda. Em 2001, o hipster podia usar um boné do Six Flags. Em 2006, uma camiseta do OK Go seria o máximo. No 1º semestre de 2009, as meninas e os gays que se vestiam como Lady Gaga eram considerados hipsters (há controvérsias). Hoje sei lá.

O Urban Dictionary tem um conceito de hipster. Ele fala bastante do estilo da “tribo”, o que é complicado porque os hipsters não formam necessariamente uma tribo. Há quem diga que eles (nós?!) são formadores de opinião. Há quem os coloque como sinônimo de “moderninhos“, num diminutivo bem depreciativo. Cuidado se você é um desses: se você está discutindo o que é e o que não é hipster, um pouco de hipster você tem… Muita gente também fala que o hipster é interessado na “subcultura“, na “cultura underground“, e isso é a mesma coisa que não dizer coisa alguma – porque o que é subcultura, né? Pode ser Aviões do Forró, pode ser Quentin Tarantino (que dizem, “matou a cultura hipster”, só rindo mesmo), pode ser Almodóvar, pode ser indie rock, pode ser Ladytron
1) Pode ser tudo que não está no gosto elitista, mas Almodóvar minha mãe assiste, o professor da minha sobrinha assiste e adora, o Silvio de Abreu deve adorar e aquela sua amiga do interior que estudou com você no ginásio também. Gostar de Almodóvar não é hipster? É. Então e agora?
2) Pode ser tudo que não está no mainstream, mas Aviões do Forró não está no mainstream? Bom, sim e não. Tem muito mais público que um monte de banda. E agora? E o jornalista de cultura que adora Aviões do Forró, esse gosto não é hipster?
Vai ver Tarantino matou a cultura hipster mesmo… Colocou-a na moda, divulgou-a em Hollywood e confundiu tudo (acho que esse é um dos motivos pelos quais eu adoro Tarantino).

Encontrei em Berlim (ai, tem coisa mais hipster) um livro (vai vendo) que fala sobre os hipsters, tipo estudo acadêmico mesmo. Eu comprei (caralho, assinei o contrato de “sou hipster pra sempre” assumindo essa compra!). É uma coleção de artigos chamada “What was the hipster?” e saiu pela editora n+1, achei bem interessante quando li mas agora não lembro de um terço do que está escrito. Se encontrar, compre: pega bem pra alguém cool ter esse livro na estante.

Tirei a foto com aplicativo de iPhone porque sou cool

E na minha opinião: somos todos hipsters, em maior ou menor grau. Tudo bem. Fica frio. Só não cai no exagero: uma das coisas que o Hipster Cafona ensinou pra gente é que cair no exagero é coisa de muito mau gosto.

Mais leituras?
. Um post na época do Hipster Cafona do meu amigo hipster Felipe Gutierrez no blog pessoal dele, um dos melhores comentários que já fizeram sobre o HC.
. Um texto do AdBusters que fala de maneira muito mais inteligente que eu sobre o preconceito dos hipsters a respeito deles mesmos. É tipo emo que não gosta de ser chamado de emo, sabe?
. Um texto da Time Out New York de um cara que não acha que é hipster (só é cool) e não entendeu que hoje em dia hipster e cool são quase que sinônimos. Ou são totalmente sinônimos mesmo. O título do texto é “Why the hipsters must die” – como já disse, quem quer que os hipsters morram é meio hipster também.

Anúncios

Discussão

2 comentários sobre “O que é hipster – e por que ninguém gosta de ser chamado assim…

  1. Movimento do Orgulho Hipster: 1 membro.

    Publicado por Gui Ávila | fevereiro 1, 2012, 3:30 pm

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: Pra você que ainda não esqueceu: uma entrevista exclusiva com… o hipster cafona « Como ser cool - abril 2, 2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: